Reflexões, pensamentos e momentos de inspiração por Cristina Martins



O grandioso “Atelier” que é a ESCOLA!



 Uma das paixões que (ainda) me move! 💜💪🍀🦋🌹

Amanhã, será um grande dia - o início do ano letivo na maior parte das escolas.

Como professora, é um marco importantíssimo e de grande entusiasmo – o de acolher, novamente, aqueles que já eram meus alunos bem como aqueles que o serão, este ano, pela primeira vez.

Sinalizo-o, convosco, com esta passagem do discurso que o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo fez, ontem, aquando da sua visita a uma escola onde estudou.

“E vim encontrar paz aqui, neste Liceu. Essa paz foi-me transmitida, muito pelos professores e é isso que vos quero dizer enquanto professores. Os senhores são o verdadeiro fermento da evolução, a farinha são os alunos“.

Este ano, para muitos professores, vários recomeços se avizinham: novas escolas, novos locais, mas também novas dinâmicas, às quais se associam outras ainda mais recentes, que resultam das transformações e adaptações de que a Escola está a ser alvo, decorrentes de um mundo em constantes progressos e alterações.

Para muitos (e também eu me incluo aí), o final do ano letivo transato já foi um recomeço, um ir largando os “velhos trajes” para me moldar aos “novos”. Estas duas semanas, têm sido a continuação desse trabalho, uma aprendizagem constante, um manuseamento cada vez melhor, mas ainda a medo, dos “utensílios” e da “matéria-prima” que nos foi chegando, para que todos se encaixem, o melhor possível, nas “novas vestes” que alguém sonhou e que, no terreno, cabe a nós, professores, preparar, cimentar e fazer acontecer. Tudo isto, precisamente, porque TODOS OS NOSSOS ALUNOS IMPORTAM e para que consigamos dar-lhes, a eles e aos seus pais/encarregados de educação, um recomeço assente em Serenidade, Segurança, Equidade e muita Paz!

Um BOM ANO para todos os que, direta ou indiretamente, fazem parte deste diverso e grandioso “Atelier” que é a ESCOLA!

- Espelho meu, espelho teu -



De há uns tempos a esta parte, um novo tema invade as conversas entre “amigos” e conhecidos que, casualmente, se encontram. Os outros, os que se contam com os dedos de uma mão, têm mais e melhores temas de conversa, pelo menos, mais genuínos, divertidos e produtivos. Claro que o fenómeno acabou, também, ou acima de tudo (não sei muito bem), por invadir as redes sociais... Chama-se "Cada vez gosto mais de mim". Só não sei se isso é muito bom sinal para quem tem a necessidade constante de o apregoar... e para a sociedade, em geral, bem entendido, cada vez de olhos mais baixos e revirados para o próprio umbigo, para a própria imagem! Teremos, com certeza, daqui alguns anos, indicadores claros destas conquistas, destas realizações, destes sucessos (individuais)!

FELIZMENTE, quando faço as minhas caminhadas, mais ou menos constantes, mais ou menos expandidas no tempo e, agora, geograficamente, mais limitadas, cruzo-me com muita gente que abranda a passada, me olha nos olhos e, com um sorriso mais ou menos rasgado, uma serenidade muscular mais ou menos evidente, me diz "Bom dia!". Alguns há, até, que se atrevem a mais meia dúzia de palavras.

Nunca nada está completamente perdido! Há sempre uma réstia, algures, que nos salva ou nos ilumina!  

Bom fim de semana... com ou sem passeio higiénico, mas, certamente, a olhar mais e melhor para o(s) outro(s), que está(ão) à nossa frente, ao nosso lado ou numa passada mais lenta e fragilizada, atrás de nós!!

Cristina Martins

 


1 comentário:

  1. "Nunca nada está completamente perdido!"- e é esta certeza que nos faz caminhar e olhar em frente.

    ResponderEliminar